Pedir mais informações
para o meu caso
Nome
Email
Telefone
Mensagem
 
 
 
 
 
 
 

Cirurgia Não Invasiva 

 

Cifoplastia 

 

O que é? 

A cifoplastia consiste num procedimento minimamente invasivo no qual um balão insuflável é introduzido dentro do corpo vertebral fraturado por via percutânea e insuflado antes da injeção de cimento ortopédico polimetilmetacrilato (PMMA), provocando a expansão da vértebra afetada.

O balão insuflado permite a elevação dos fragmentos da fratura, a restauração da altura do corpo vertebral e a correção da cifose, através do preenchimento da cavidade criada com cimento.
 

Exemplos de Atuação

A cifoplastia encontra-se indicada nos casos seguintes:

  • Fraturas vertebrais pós-traumáticas
  • Fraturas osteoporóticas
  • Fraturas patológicas
  • Metástases vertebrais
  • Hemangiomas vertebrais
 
 

Neurólise

 

O que é? 

A neurólise corresponde à rutura ou lise de um nervo espinhal ou de uma parte dos seus componentes (raízes, ramos ou ramificações) através de um agente neurolítico. O agente neurolítico pode ser mecânico (por exemplo, bisturi), químico (por exemplo, álcool absoluto) ou físico (por exemplo, calor produzido por ondas de radiofrequência).

A neurólise por radiofrequência é uma técnica cirúrgica utilizada para o tratamento da dor na coluna que tem origem na articulação interapofisária. A lise completa e intencional do nervo raramente é indicada devido às limitações que podem resultar deste tipo de procedimento. Assim, na cirurgia da coluna, quando se diz neurólise, em geral refere-se à lise seletiva de uma parte dos elementos que compõem o nervo. Na maioria das vezes, procura-se a rutura dos ramos que contém as fibras que conduzem o estímulo doloroso.

Na neurólise lombar por radiofrequência, a rutura do tecido nervoso realiza-se através do calor produzido pelas ondas de radiofrequência emitidas da ponta de um elétrodo posicionado no trajeto anatómico do nervo espinhal a ser abordado.
 

Exemplos de Atuação

A neurólise é geralmente utilizada para tratar a dor crónica. É usada no tratamento da síndrome facetária (doença causada por artroses na coluna vertebral, ou seja, degeneração das articulações facetárias) em pacientes idosos que não respondem às medidas conservadoras. Mas pode também ser utilizada como uma técnica que permite controlar a dor em pacientes com cancro por exemplo.
 
 

Nucleólise por Ozono

 

O que é? 

A nucleólise por ozono no tratamento de hérnias dos discos é um procedimento eficaz, seguro e isento de complicações graves. Consiste na administração de uma mistura de oxigénio-ozono no interior do disco e junto ao nervo comprimido.

O ozono injetado dentro do disco promove a redução do seu volume e, consequentemente diminui a pressão exercida no nervo que é a responsável pelas dores nas costas (com ou sem irradicação pelos braços ou pernas), podendo acompanhar-se de alteração da sensibilidade ou diminuição da força muscular. A injeção junto ao nervo afetado, tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas.
 

Exemplos de Atuação

A nucleólise é um procedimento minimamente invasivo usado no tratamento de patologias da coluna, como hérnias de disco, discopatias e contraturas musculares crónicas.
 
 

Nucleoplastia por Fibra Óptica Nucleoplastia por Fibra Óptica

Nucleoplastia por Coablação Nucleoplastia por Coablação

Nucleólise com Ozono Nucleólise com Ozono

Neurolise Por Radiofrequencia Neurolise por Radiofrequência

Vertebroplastia e Cifoplastia Vertebroplastia e Cifoplastia

Biópsia de Lesões Ósseas Biópsia de Lesões Ósseas

Tratamentos minimamente invasivos de Hérnias Discais Tratamentos minimamente invasivos de hérnias discais

 
 
São procedimentos isentos de complicações graves, com um curto tempo de estadia hospitalar e de recuperação, permitindo um rápido retorno do paciente às atividades de rotina diária.
Para além disso: são procedimentos terapêuticos minimamente invasivos; não é necessário anestesia geral; não interfere com as estruturas ósseas; não implica a remoção do disco; sem cicatriz cutânea; apresentam uma taxa de sucesso expectável elevada; não impedem a cirurgia, caso seja estritamente necessário.
Podem ser utilizados em pacientes com queixas de dor referida à coluna (com ou sem irradiação ao braço ou à perna), com fraca resposta ao tratamento farmacológico, assim como, em pacientes submetidos a cirurgia invasiva prévia, sem melhoria sintomatológica ou com recorrência/agravamento clínico (Failed Back Surgery Syndrome)
Estes tratamentos não são adequados a todos os pacientes com dor vertebral/raquidiana, sendo necessário uma consulta médica, com discussão diagnóstica e das opções terapêuticas.
 
 
 
 

Testemunhos

 
 
 
Morada
Largo Lapa 1,3º
4050-069 Porto
 
 
 
 
Telefone